Arquivos do Blog

Michael C. Hall está curado do Câncer e volta a Gravar Dexter em Abril!

DEXTERNEWS – Juntei o que foi divulgado pelos sites: Pipoca Moderna e Dexter Lords, fiz um mexidão com o dedo de jornalista e emoção de fã. Segue, atualizado e unificado as mais recentes informações sobre nosso “amigo” Dexter Morgan e o melhor seriado – que gênero podemos classificar mesmo?Enfim – Dexter (5ª Temporada!). I don´t care se é spoiler ou não, fato é que Michael não se rendeu ao câncer e todos podemos comemorar essas ótimas novidades!

5ª Temporada confirmadíssima para Setembro (2010)

O ator Michael C. Hall, vencedor do Globo de Ouro 2010, já teve alta de seu tratamento contra o câncer. Praticamente curado, o ator volta às gravações da série “Dexter” no mês que vem. Assim, a estréia da 5ª temporada não terá atraso nos EUA.

O seriado é um fenômeno popular. Os episódios são vistos por 2,5 milhões no pequeno canal Showtime, que raramente alcança 1 milhão de espectadores.

Uma das produtoras executivas da trama do serial killer, Sara Colleton revelou que o retorno da série em setembro começará no exato momento em que terminou a 4ª temporada: com Dexter ainda sendo as repercussões do último ato do Trinity Killer (John Lithgow) e tendo que lidar com novos questionamentos da polícia de Miami.

Ainda assombrado pelo corpo da Rita na banheira de sangue? Prepare-se para o que a quinta temporada irá trazer. Ontem, a produtora executiva da série, Sara Colleton, deu uma breve entrevista à jornalista Carrie Bell contando algumas novidades da nova temporada que tem previsão de estréia para setembro. Vamos ver as enormes implicações que a morte da esposa causará na vida do serial killer mais amado do mundo.

A quinta temporada irá começar exatamente de onde a quarta parou?

“Nós passamos o último mês sentados, conversando e realmente debatendo a melhor forma de lidarmos com as consequências da morte da Rita. De forma unânime nós decidimos que não queremos dar um salto no tempo. Nós precisamos ver o Dexter passar pelo processo que qualquer um de nós passaria se algo tão horrível acontecesse. Nós precisamos vê-lo fazer tudo, desde as grandes emoções como o luto da perda até as coisas mais mundanas como organizar o funeral, arrumar as crianças e todas as outras coisas que geralmente são feitas para os homens por suas esposas ou mães. Eles não tem a menor idéia de como lidar com essas coisas. Todos nós vimos, a Rita era quem realmente tomava conta do bebê. Seria uma ofensa à audiência se não mostrássemos o Dexter passando pelo período de luto e como isso o afeta ou não vê-lo lidar com a culpa do que, essencialmente, ele causou. Então, não, não iremos ver o Harrison com 5 anos, pelo menos por enquanto.”

A quinta temporada não terá um esquema de vilão como o Trinity, certo?

“John Lithgow é um ator difícil de se seguir. Se existisse um ano para darmos um passo para trás com relação à fórmula “do mal” e nos aprofundarmos na mente do Dexter, esse seria o ano. Dito isso, Dexter possui um passageiro sombrio que não o deixará não importa o tanto ele tente ser normal. Ele pode até mesmo se aprofundar na escuridão após o trauma de perder a Rita. Estamos trabalhando em um jeito de soar original e único para tudo o que ele está passando. Não tem como ser do mesmo jeito que era antes. Na primeira temporada ele estava aterrorizado com qualquer tipo de intimidade porque para ele intimidade era o mesmo que ser descoberto. Então, com o tempo, ele percebeu sua necessidade de ser conhecido, arrumou uma família e tentou ser o melhor que podia ao equilibrar tudo isso. E depois de ter experimentado o sentimento de ser conhecido e ter isso tirado repentinamente de sua vida, ele ficará afetado de alguma forma .”

Dexter continuará solteiro… por enquanto?

“Tudo é possivel, mas não acho que Dexter estará no clima para encontros amorosos tão cedo. Nem pensamos nessa possibilidade, na verdade. Ele realmente amava a Rita e eles estavam se entendendo bem antes de seu assassinato, então essa ferida vai levar algum tempo para cicatrizar.”

Michael C. Hall está livre do câncer?

“Michael está em remissão completa. Acabei de ter um café da manhã de três horas com ele. Ele está em ótima forma e recuperando as energias. Estamos todos bem ansiosos para voltar ao trabalho. O rapaz é incrivelmente corajoso e trabalhou muito na última temporada, mesmo estando doente. Ele é um ser humano extraordinário e um excelente ator. Deu medo, mas o show irá continuar. Voltamos a gravar no fim de Abril ou começo de Maio, que é o normal. Nós não precisaremos atrasar a produção.”

Anúncios

Geração Sheldon

Responda rápido: Você acredita que existe amizade verdadeira entre dois homens? Ok. E porque a mesma resposta não é unânime quando a pergunta se refere a existência de amizade sem interesses escusos entre um homem e uma mulher? …. Cri!… Cri!…

Na infância o senso comum apregoa a máxima “meninos convivem com meninos” o oposto com seus pares. Os relacionamentos sociais são homogêneos, resumindo, cada um no seu quadrado.  Estabelecem-se dois mundos o cor-de-rosa e o azul, imiscíveis! Já na adolescência…. Ocorre a ruptura para um mundo mais heterogêneo  e ocorre a queda do muro de Berlim SOCIAL. Portadores do cromossomo XY iniciam uma busca por contato com XX.  O instinto natural humano explica o fenômeno. Nesse momento se relacionar apenas com pessoas do mesmo sexo é sinal de preocupação de muitos pais!

Enquanto ser hétero, homo ou bissexual tem sido um conflito social, sexual e pessoal diversos indivíduos, culturas e religiões. Surge mais uma nomenclatura que com certeza não irá ajudar a desembolar o novelo, são os ASSEXUADOS.

PAUSA PARA DEFINIÇÃO: Assexualidade é a idéia de orientação sexual caracterizada pela indiferença à prática sexual, ou seja, o assexual é um indivíduo que não sente atração sexual, tanto pelo sexo oposto quanto pelo sexo igual.

VOLTANDO AO POST: O assunto parece menos assustador quando simbolizado pelo personagem de Jim Parson no seriado The Big Bang Theory, o irritantemente metódico Dr. Sheldon Cooper.  Um físico teórico com 187 de QI, que obteve PhD aos 16 anos de idade, alto nível de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo),  aparentemente “saudável” e “normal” não se encaixa no perfil que as pessoas imaginam como assexuado.  Fato é que o seriado chegou à terceira temporada e todos os outros personagens já se relacionaram sexualmente com alguém (gratuitamente ou pagando), porém nada mexe mais com a libido de Sheldon que fórmulas matemáticas.

A polêmica chegou até os ouvidos do produtor do seriado da seguinte forma:

Sheldon é gay?

O biótipo delicado, magro, alto, traços nada embrutecidos, pele clara, nariz e lábios afilados que indicam traços femininos. Somado ao comportamento delicado e contido (não se coça, não cospe no chão, não joga futebol), ao excesso de polidez no vocabulário. Seria o rótulo perfeito para enquadrá-lo como Gay! Mas guarde os rótulos, não é tão simples assim!

Chuck Lorre, produtor-executivo de The Big Bang Theory, respondeu à Entertainment Weekly um dos grandes mistérios que cercam a série: afinal, Sheldon é gay? Segundo ele, num questionário sobre orientação sexual, melhor seria colocar na categoria “outros”.

“O foco dele é inteiramente o trabalho. Outro jeito de analisar seria com ‘realidade alternativa’. Personagens como Sheldon são atraídos por um mundo paralelo que pode ser mais confortável que este em que vivemos. E por que mudar isso? Por que o personagem não pode ser único assim?”, questiona Lorre.

Como cresce a pressão para arrumar uma namorada para Sheldon, o ator Jim Parsons também fala do caso. “Eu entendo o ponto de vista de Chuck; tudo o que Sheldon quer é um Nobel. Esse seria o abraço quente que ele tanto deseja. Se eu acho que ele pode pender para algum lado um dia? Não sei dizer. De qualquer modo, isso manteria aberto para ele um mundo de possibilidades.”

Lorre conclui: “Se tocar outros seres humanos é tão irrelevante para ele, por que rotular? Por que não pode haver um terceiro gênero? Macho, fêmea e Sheldon…”.

Se a assexualidade de Sheldon seria uma evolução da espécie humana eu não sei. Mas a pergunta é, Quantos Sheldons não existem por ai?

Assexualidade já virou pesquisa científica!

Enquanto muitos pensam que isso não passa de “viadagem”, uma pesquisa de opinião no Reino Unido sobre sexualidade incluiu uma pergunta sobre atração sexual, e 1% dos entrevistados responderam que “nunca se sentiram atraídos sexualmente por absolutamente ninguém” (Bogaert, 2004).

Já um estudo feito com cordeiros chegou ao resultado de que cerca de 2% a 3% dos indivíduos estudados não tinham interesse aparente em acasalar com sexo algum. Outro estudo, foi feito com ratos e gerbils, em que até 12% dos machos não mostraram interesse nas fêmeas. Contudo, como suas interações com outros machos não foram medidas, o estudo é de uso limitado no que toca à assexualidade (Westphal, 2004).

Na Ficção

Sheldon não é o primeiro personagem Assexuado retratado na ficção. Na série original de TV Doctor Who (1963–1989), o Doutor quase sempre era retratado como assexual apesar de sua regular companhia de mulheres jovens e atraentes.

O negócio é tão sério que nos Estados Unidos criaram um site para reunir pessoas com este perfil sexual, ou melhor, a ausência dele. É o http://www.asexuality.org

De acordo com o fundador da Asexual Visibility and Education Network, uma das principais comunidades online de assexuais (abreviada como AVEN). Nesse sistema, assexuais são divididos em tipos de A a D.

A –  tem direção sexual, mas sem atração romântica,

B  – tem atração romântica mas não tem direção sexual,

C – tem ambos, e o tipo D, nenhum. As categorias não significam que são inteiramente discretas ou “escritas na pedra”; o tipo de uma pessoa pode mudar, ou pode-se estar na fronteira entre dois tipos. Note que a própria AVEN não usa mais esse sistema, já que ele é muito exclusivo, mas um número de assexuais ainda a sentem como uma ferramenta útil para explicar sua orientação.

Glee chega ao Japão!

Glee é uma série que divide opiniões, sendo amada por muitos que mal conseguem se conter na poltrona enquanto assistem e odiada por muitos outros que mal conseguem conter a vergonha alheia que sentem. Mas o musical é um sucesso  e está agora a caminho do Japão.

Independente da sua opinião acerca da série, você vai concordar que os comerciais japoneses para o lançamento de Glee são geniais. Eles contam com a imensa, cantante e dançante presença de Akebono, lutador havaiano de sumô e de MMA, naturalizado japonês.

P.S: este post foi copiado do site http://pepsi.gizmodo.com.br/ na integra

Porque Glee ganhou Globo de Ouro ?

Desde que eu soube que Glee tinha recebido o Globo de Ouro 2010, de Melhor Seriado de Comédia, vencendo “30 Rock”, “Entourage”, “The Office” e “Modern Family”. Achei no mínimo ridículo. E agora (após ter terminado de assistir a primeira temporada de Glee) estou mais certo disso!  Definitivamente não foi justo! No mês passado eu fiz um post sobre o Seriado Modern Family, https://renatolalonge.wordpress.com/2010/01/06/modern-family-%E2%80%93-seriado/ que é sim, hoje o melhor seriado de comédia da TV Americana (produção, texto, atores, roteiros, etc…)

Não que eu seja melhor que o júri do Globo de Ouro, tampouco tenho o dinheiro e a força da FOX (produtora de Glee), mas eu resisti e consegui assistir os 13 episódios da primeira temporada de Glee…. Eu não desejo que o seriado acabe (já confirmaram segunda temporada), mas deixe-o quieto, é um entretenimento colorido e musicalizado… não faz mal a ninguém, mas ganhar Globo de Ouro? A frente de Modern Family ? Ai já são outros quinhentos….

Eu confesso que tento compreender qual foi a linha de raciocínio da academia para tal premiação… De longe Glee é uma mistura de High School Musical com repertório de Mudança de Hábito 2, com o figurino de Hair Spray e mergulhados nos musicais da Broadway ((não é difícil imaginar que ele foi feito com objetivo comercial…. virar musical, vender cd, etc))

Mas, com muito esforço, dá para render certo elogio, após uma ótica mais humanizada. Glee mostra uma versão fragilizada dos americanos (vale lembrar que os americanos fazem seriados para o próprio umbigo)… Dessa forma Glee mostra as fraquezas do Empire State: os personagens como a própria série chama, nada mais são que Loosers (perdedores). O roteiro evidencia sempre os pré-conceitos americanos…. mostra as mazelas sociais com as minorias, valores, etc…. A construção de cada personagem foi pensada para destruir a imagem que os Estados Unidos venderam, deles mesmos, para o mundo. Mas, por outro lado, a série tampouco se preocupa em passar qualquer sátira ou crítica política. Não dá para entender qual é o público alvo. As edições são péssimas, o roteiro é fraco. Depois de 13 capítulos Glee ainda não diz a que veio. E eu não vou mais assistir!

Breve Resumo:

O elenco principal se resume hein: Will Schuester – um professor de espanhol que carrega a frustração de ter sido um insucesso na época de estudante, tem um casamento desmoronando e se joga de cabeça no coral, é feio, de cabelo enrolado, franzino e faz muitas caretas, embora faça o papel de herói,  rompe com os padrões soberanos da beleza anglo-saxônica.  Enfrenta a perseguição da treinadora das líderes de torcida, Sue Sylvester (a melhor personagem da série), com grande repressão aos conflitos sexuais internos e narcísicos, jogando sujo sem escrúpulos para conseguir o que quer. Dentro do Coral temos:

Rachel Berry – é a melhor cantora, porém não é nada sexy, nem popular. Do contrário a que tem a melhor voz é a é a chata da turma.

Finn Hudson – Primeiro Quarterback burro e desengonçado da história dos seriados americanos. É o líder do football, namora a garota a líder de torcida (Quinn), faz o papel de galã, mas sem sex appeal, nem charme.

Quinn Fabray – É a líder de torcida mais sem sal que existe. Sem expressão.

Noah “Puck” Puckerman – judeu que usa moicano e gosta de transar com as mães dos amigos.

Kurt Hummel – Gay extremamente afetado e estereotipado que sofre sim de preconceito no pais da liberdade!

Mercedes Jones – A negra, gorda, pobre, que é zuada… tem um grande talento, mas culturalmente será backing vocal (((Eu já acho que ela salva os musicais. By the way sabia que a atriz foi rejeitada na seletiva do American Idol)))

Ainda tem uma japonesa que é gaga,Tina Cohen-Chang; um cadeirante orelhudo, Artie Abrams; uma latina, Santana Lopez…..

Globo de Ouro – Parte I “Dexter”

Nosso estimado companheiro de (Six Feet Under, Dexter e Gamer), Michael C. Hall levou o primeiro Globo de Ouro (após a quarta nomeação para a estatueta!) na categoria Melhor ator de Drama em seriado de TV,  pelo papel de Dexter Morgan.

Será que foi preciso chegar à quarta temporada para que eles se rendessem ao talento de C. Hall ? Enfim, porém o prêmio vem um momento muito delicado na vida do ator. Michael enfrenta um câncer no sistema linfático (tipo raro da doença).  Por causa da quimioterapia, o ator teve que improvisar uma touca preta na cerimônia do Globo de Ouro. A foto mostra que a luta não tem sido fácil, nosso amigo perdeu o vigor que ele emprestava para Dexter.

O que mais me irrita em tudo isso é que vai ficar uma pontinha de dúvida se a escolha de Dexter é 100% pelo talento ou teve interferência emocional e solidária do juri pelo momento pessoal que Michael vive.  Pior que os concorrentes provavelmente irão alegar isso para tentar ofuscar o talento de Hall.

Fato é que com Dexter, Hall, derrotou: Simon Baker, “The Mentalist” / Jon Hamm, “Mad Men” / Hugh Laurie, “House” / Bill Paxton, “Big Love”). Ganhar de House foi massa! (porque o cara é muito bom!)  Sabe o que é mais engraçado? Jon Hamm perdeu como melhor ator por Mad Men, mas o seriado foi eleito como melhor Série de Drama (Mad Men), derrotando Dexter (Eu nem sabia da existência desse seriado, mas ele derrotou também “Big Love”, “House” e “True Blood”). Não me convenceu!

Dexter perdeu como melhor série de drama, mas o seriado fez outro vencedor. A estatueta de melhor ator coadjuvante foi para John Lithgow – o Trinity (concorriam com ele: Michael Emerson – “Lost” / Neil Patrick Harris – “How I Met Your Mother” / William Hurt – “Damages” / Jeremy Piven – “Entourage”)

Veja a premiação completa do Globo de Ouro para TV
Melhor comédia: “Glee”
(concorriam na categoria: “30 Rock” / “Entourage”/ “Modern Family” / “The Office”)

Melhor ator de comédia: Alec Baldwin – “30 Rock” (concorriam com ele: Steve Carell – “The Office” / David Duchovny – “Californication” / Thomas Janes – “Hung” / Matthew Morrison – “Glee”

Melhor atriz de drama: Juliana Margulies, “The Good Wife” – ela já foi nomeada seis vezes, é a primera vez que ela ganha um Globo de Ouro. (concorriam com ela: Glenn Close, “Damages” / January Jones, “Mad Men” / Anna Paquin, “True Blood” / Kyra Sedgwick, “The Closer”)

Melhor atriz de comédia: Toni Collette – “United States of Tara” (concorriam com ela: Courtney Cox – “Cougar Town” / Edie Falco – “Nurse Jackie” / Tine Fey – “30 Rock” / Lea Michele – “Glee”)Melhor atriz coadjuvante: Chloë Sevigny – “Big Love” (concorriam com ela: Jane Adams – “Hung” / Rose Byrne – “Damages” / Jane Lynch – “Glee” / Janet Mcteer – “Into The Storm”)

Minissérie ou filme feito para a TV:  “Grey Gardens” (concorriam na categoria: “George O’Keeffe” /  “Into the Storm” / “Little Dorrit” / “Taking Chance”)Melhor atriz de filme feito para a TV: Drew Barrimore //  Melhor ator de filme feito para a TV: Kevin Bacon

Clique aqui e confira a cobertura da premiação do Globo de Ouro para o Cinema e conehça a atriz por tras da Na’Vi Neytiri

Dexter: Um Assassino de Estimação!

dexter elenco

ELENCO DE DEXTER

Não muito popular (ainda) no Brasil, o seriado Dexter, do canal americano ShowTime já está na quarta temporada e acumula sucesso de crítica e público. Baseado nos romances policiais, mais precisamente na obra de Jeff Lindsay – Darkly Dreaming Dexter, o seriado narra a história, ou melhor, as histórias de um jovem perito da policia de Miami que nasceu com instinto assassino e foi treinado pelo pai adotivo,  ex-policial, a como ser um perfeito Serial Killer, seguindo um código de apenas “tirar o lixo das ruas”.

No seriado, dirigido por James Manos Junior (diretor de Familia Soprano, 1999),  o personagem principal apesar de Serial Killer, não faz a linha Hannibal Lecter, ao contrário, ainda sem uma explicação técnica Dexter Morgan, que faz questão de mostrar o prazer em cada assassinado, é um psicopata que exerce sobre os telespectadores o que os forenses chamam de Sindrome de Estocolmo – ou seja, a paixão e a simpatia pelo “bandido”.

O protagoniosta, interpretado pelo experiente ator Michael C. Hall  – que participou do seriado Six Under Feet por 5 anos – é um sujeito “comum”, que poderia ser encontrado facilmente pelo corredor. Porém, Dexter Morgan rompe a barreira da ficção ao viver e expor seus conflitos pessoais e compartilha-los exclusivamente com os telespectadores.

Interessante que tanto o seriado, quanto o personagem contrariam reações normais, obvias e até obrigatórias do público, como a não-conivência a Serial Killer, ou a reprovação das maneiras que levam o personagem a matar (já que nunca é em legitima defesa). Todo o sangue e pedaços dos corpos mortos são suavisados com a imagem de um cara tranquilo e até angelical – mesmo que ele se esforce para não passar essa imagem.

Dexter definitivamente é superior aos seus atos, sem fazer apologia a nenhum tipo de contravenção, crime ou barbárie, o seriado mostra que todo mundo tem seu dark side e levanta um grande questionamento sobre o que é ser normal?

  • dex e jennifer

    Casal Michael e Jennifer Hall

    OPINIÃO PESSOAL:

    os pontos altos do seriado são, sem dúvidas, as expressões faciais de Dexter, os pensamentos narrados sem fala, os chiliques de Debra e a trilha sonora, em especial da abertura! Para quem curte ação, são vários os sustos e “quases” que nos fazem suar várias vezes em cada capítulo.

  • DICA: O seriado segue uma linha de desenvolvimento cronológica, assim, é necessário começar do primeiro capítulo da primeira temporada. Pular um capírulo sequer e perder valiosas informações.  Sabendo disso o diretor alivia com um bom resumo – Previously –  na introdução de cada capítulo.
  • CURIOSIDADES:
  • Michael C. Hall ganhou 2 Emmys, 3 Globos de Ouro como Dexter;
  • Fez durante 5 anos a série Seis Palmos (Six Under Feet);
  • Casou-se em 2008 com Jannifer Carpenter, que interpretava sua irmã,  Debra Morgan;

    dexter_poster2

    Poster da Segunda Temporada

  • 2003 – fez o filme PayCheck (O Pagamento), como Agente Klein;
  • 2009 – fez o filme GAMER,  com Gerard Butler, interpretando Ken Castle;
  • Está gravando o filme independente “East Fifth Bliss” previsto para lançamento em 2010
  • Gravou o filme “Peep World”, com a comediante Sara Silverman, previsto para lançamento em 2010
  • FRASES DE DEXTER MORGAN:

“Não existem segredos na vida. Apenas verdades escondidas… que ficam sob a superfície!”

“Eu nunca me importei muito com o conceito de inferno… Mas se ele existe, eu estou nele”

“Sangue. Algumas vezes me deixa com a boca seca. Em outras ajuda a controlar o caos.”

“Digamos que eu não seja apenas um rapaz que mora ao lado.”

“Eu não sou o monstro que ele quer que eu seja. Então não sou homem, nem animal. Sou algo inteiramente novo. Com minhas próprias regras.Sou Dexter”

“As pessoas fingem muitas das interações humanas, mas me sinto fingindo todas… E as finjo muito bem!”

gamer_poster2

Poster de Gamer, 2009

“Posso matar um homem, desmembrar seu corpo,e chegar em casa a tempo para ver o Letterman…Mas não sei o que dizer quando minha namorada está se sentindo insegura.”

“Se eu tivesse um coração, ele estaria partido agora.”

”Ela é casada com um monstro e nem sabe disso… nem deve conhecê-lo de verdade… talvez esse seja o segredo de um bom relacionamento duradouro”

“Rita vai ficar arrasada se eu for preso. Seu marido era um viciado e seu namorado é um serial killer. É difícil não levar pro lado pessoal.”

“O FBI estima que existam menos de 50 serial killers em atividade nos EUA hoje. Não fazemos reuniõezinhas em convenções,não compartilhamos segredos do trabalho ou trocamos cartões de natal. Mas às vezes me pergunto como deve ser para os outros. O único som que escuto…O único som no mundo inteiro…É o meu coração batendo.”

“Nada como alguns biscoitos e um novo oponente à altura pra espairecer”

“Graças a Deus pelos banhos! Uma hora particular para pensar…O que é difícil agora que estou num relacionamento de verdade”

“Uma jarra de sangue. Dramático. Enigmático. Divertido.”

DEXTER - EMMY

(vale registrar meus agradecimentos ao amigo PH que me apresentou Dexter)