Arquivos do Blog

DELICATESSEN filme by Jean Pierre Jeunet (1991)

Estou aqui travado em frente ao monitor… tentando encontrar uma palavra para iniciar esse post sobre o filme Delicatessen (1991). Que tal…. Aula. É, isso mesmo. Delicatessen é uma aula de Cinema (pra quem gosta de analisar minúcias técnicas, propostas ousadas e criativas de imagem, som, edição, enquadramento, etc….), é também uma aula de Roteiro (pra quem gosta de se deixar levar pelo enredo, porém precisa, antes,  ser convencido pelo mesmo), e, sobretudo é uma aula de Nostalgia (proposital. um filme muito bem resolvido, dentro da proposta dos diretores).

E por falar em direção, temos aqui o primeiro grande sucesso de Jean Pierre Jeunet (meu francês favorito). Já sei…. lembraram de “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain”, né? Isto mesmo, porém, Delicatessen foi lançado exatamente 10 anos antes de Amelie Poulin e ve-se uma equilibrada qualidade tecnica e a assinatura do diretor que mesmo fazendo duas obras completamente originais e exclusivas, mantém os mesmos princípios e cuidados conceituais. (by the way, Jeunet levou dois atores de Delicatessen para Amelie – vale a pena acompanhar o desempenho desses personagens)

Vamos à Sinopse: Em um futuro apocalíptico, homem  chega a um estranho prédio, localizado em cima de um açougue, para procurar abrigo e emprego. Após instalar-se no local, se apaixona pela filha do dono do estabelecimento, mas sua presença começa a incomodar a família da moça – que, na verdade, possui outros e estranhos planos para ele.

voltando à crítica: o filme apresenta uma visão nostálgica – bem definida em tons de sephia, sombras e neblina. O cuidado com a iluminação e as cores é notório e dá o clima que o filme pede. Figurino, cenário, móveis, lentes…. tudo parece ter sido detalhadamente testado. E, no entremeio, a discussão de uma temática política, social, econômica e antropológica, séria, verdadeira e perigosa…. porém, ai está a façanha de Jeunet. Ele fala de “canibalismo”, sem pender para o terror (aidna que o filme seja um precursos rustico de Jogos Mortais), e sem pender para o cômico … não assusta e não faz rir…. faz pensar! mas sem ser careta….. É como se o filme te convidasse para uma viagem (e eu repito novamente) Nostálgica… Bucólica… Retrô…. e com essa leveza… insere o assunto hard!

Nada chama mais atenção do espectador do que a simplicidade que Jeunet desenrola a trama….. em todo momento sabemos que é uma ficção, mas nos sentimos tão íntimos e a vontade que quase participamos do filme…. (como ele faz isso eu não sei)

Enfim…… vale a pena ver com calma, prestar atenção nos detalhes e curtir o filme com sinestesia! Só não queira usar a régula de Hollywood pra medir uma filme Francês. #FikaDica

Anúncios

Os Piores filmes de 2010 | Troféu Framboesa de Ouro

Veja em primeira mão o resultado de cerimônia do Razzie Awards, evento que premia os piores filmes do ano com

o Troféu Framboesa de Ouro. Eu já tinha postado aqui no Blog quem eram os candidatos, clique

clique AQUI para saber mais sobre a história e tradição deste evento.

O anúncio dos vencedores foi feito às 23h45 horas deste sábado, dia 6 de Março de 2009.  Transformes 2 lavou duas estatuetas, como Pior Filme do Ano e como Pior Direção! Já Sandra Bullock, que amanhã disputa o OSCAR de MELHOR atriz recebeu da Razie duas estatuetas como PIOR atriz e pior casal, ambas pelo filme Louca Paixão. O que me consola é que eu não assisti nenhum filme que recebeu o Troféu Framboesa de Ouro, já se você assistiu algum e discorda da premiação. Deixe um comentário! Mas antes de julgar conhece como é séria essa premiação clique no link acima!

Os Vencedores foram:

Transformes 2: Pior filme e pior direção de 2010

Pior Filme

– Transformers 2: a vingança dos derrotados

Pior Diretor
– Michael Bay (Transformers 2)

Pior Ator

-Os 3 irmãos Jonas Brothers, em ‘Jonas Brothers: The 3-D Concert Experience’

Pior Atriz

– Sandra Bullock, (Maluca Paixão)

Pior Ator Coadjuvante
– Billy Ray Cyrus, (Hannah Montana: O filme)

Pior Atriz Coadjuvante
– Sienna Miller, (Comandos em Ação)

Pior Par (casal) – Sem química em cena
– Sandra Bullock and Bradley Cooper, (MalucaPaixão)

Pior Remake (adaptação)

Sandra Bullock: Pior Atriz do ano e pior par romântico!

– Terra Perdida (Land of the Lost)

Pior Filme da Década
– A Reconquista (Battlefield Earth)

Pior Ator da Década
– Eddie Murphy

Pior Atriz da Década
– Paris Hilton

Veja a página original:  http://www.razzies.com/history/09winners.asp

Dia 7 é a cerimônia do Oscar  e http://www.renatolalonge.wordpress.com acompanha de perto!

Precious – Uma história sobre esperança

Uma coisa o título do filme acertou. O filme é sim uma história de esperança. Não é uma história de amor. Nem de final feliz. Nem de borboletas coloridas, mas sim daquela que é a última que morre. Aquela que… quando não resta mais nada a chamamos: a Esperança.

É um filme 100% Negro,  de Saphire, a autora do livro Push que baseou o roteiro, passando pela direção de Lee Daniels, a patrocinadora Oprah Winfrey, aos atores Mo’Nique, Gabourey até a Mariah Carey teve que esconder as madeixas loiras no filme que retrata o mundo afro-americano e suas mazelas norte-americanas!

Se você vai gostar do filme? Bom a resposta é clara. Se você gosta de Alice Walker, então irá adora-lo. Precious, nada mais é que uma releitura contemporânea do clássico The Color Purple (1985 by Speilberg), que estrelou Whoopi Goldberg no papel da sofredora. Também com o dedo, ou melhor, a mão inteira da Oprah Winfrey. Aliás, Oprah é uma grande financiadora de histórias que mostram sem maquiagem a realidade “negra dos negros” americanos. Precious vem com uma roupagem atual em um cenário moderno abordar os mesmos conflites de sempre.
A personagem Precious é: Mulher, Negra, Pobre, Gorda, Burra, Mãe de dois filhos com apenas 17 anos, é estuprada pelo pai com o consentimento da mãe,  que vive espancando a filha e agredindo ela verbalmente, além disso, é humilhada na vizinhança, expulsa da escola, enfim… Precious agrega todos os predicados da escória da sociedade. Ah, esqueci..Precious tem uma filha com síndrome de Down, chamada de Mongo! Descobre que é soropositivo, contraiu AIDS do próprio pai! Como se não bastasse Precious sustenta a mãe (vadia) com auxílio do governo (bolsa-família) por ser mãe solteira em situação de vulnerabilidade social. E mesmo assim tem o nome de Preciosa, irônico, não?!  (pois assm é a vida…)

Em uma das cenas Precious diz “Nobody loves me” (Ninguém me ama), realmente dá para entender esse conceito!
Se depois desse roteiro você não se animar em assistir o filme. É porque merece sessão da tarde mesmo!

O MELHOR DO FILME:
Diante de tanta dor e sofrimento, Precious consegue sublimar a dor com fugas psicológicas. Cria fantasias paralelas que lhe garante menos traumas. Como um mecanismo de auto-defesa ao mesmo tempo que mostra a docilidade e inocência da personagem que como todo ser humanos tem sonhos e boas aspirações. Pena que toda essa alegria fique só nas fantasias. O desfecho do filme também não é nada surreal, mostra que por destino ou não, existem pessoas que não terão uma vida fácil. Mas podem decidir continuar lutando e contrariando toda a maldade que recebeu!

PORQUE VALE A PENA ASSISTIR PRECIOUS?
– Mariah Carey (a assistente social) e Lenny Kravtz (o enfermeiro) passam despercebidos no film

Mariah Carey como Sra. Weiss

e, o que é ótimo! Eles eliminamqualquer sombra de pop star (talvez a melhor atuações deles)

– A Trilha Sonora está ótima com musicas de Mary J. Blige, Bobby Brown, Queen Latifah, entre outros;
– O diretor, produtor e ator Lee Daniels é especialista em trabalhar com Negros e temática afro. (ele já tinha produzido A última Ceia (Monster´s Ball) que deu a Hale Barry o Oscar de melhor atriz) Lee já tinha trabalhado em outros longas com Mo’Nique e Mariah Carey.

– A Atriz Paula Patton (Sra. Rain) – que já fez DejáVu e Hitch – merecia o prêmio de melhor atriz coadjuvante em vez de Mo’Nique (que brilha apenas na ultima cena). Patton está linda e forte nesse filme!

– O filme recebeu 4 indicações ao Oscar: Melhor Diretor, Melhor Atriz (Gabourey Sidibe), Melhor Atriz Coadjuvante (Mo’Nique), Melhor Montagem.
– Prêmio do Grande Júri, Júri Especial e Audiência no Festival de Sundance.
– Toronto International Film Festival – People’s Choice Award.

É um filme conceito que (graçasa Deus) foge dos padrões estéticos Hollywoodiano, com enquadramento de documentário e imagens tremidas, iluminação que só agrega ao longa e a atuação da Gabourey Sidibe (26 anos/1ªfilme)  que nem parece que está atuando, é confundida com a própria Precious (o que dá mais realidade ao filme).

É isso,

Bom Filme

Doug Jones | Experience

O branquelo acima já é um cinquentão e não ganhou nenhum Globo de Ouro, nem Oscar, nem está entre os atores Pop de Hollywood. Mas certamente vários personagens dele ficaram na sua imaginação após ter assistido o filme. Doug é o tipo de ator que deixa o personagem falar mais alto. No curriculo mais de 90 comerciais (começou fazendo o Mc Night) e quase 30 filmes…. por falar em filmes é o ator favorito do Diretor Guilhermo Del Toro, com ele fez Hellboy I e II, Labirinto do Fauno e já está escalado para 2 das próximas 5 produções que Del Toro tem com a Universal, irá dazer O Hobbit e Frankestein. Até o momento Del Toro só adiantou dois atores do elenco de Hobbit, que narra o início da “trilogia” Senhor dos Anéis. Além de Doug, Ron Perlman (o próprio Hellboy) são os escalados.

E o que faz dele tão bom a ponto de encarar maquiagem excessiva e fantasias pesadas? Bom… além de ator, Doug é contorcionista e mímico. Perfil em falta no mundo das estrelas que se preocupam em mostrar mais lábios humidos, furinho no queixo e a última plástica que verdadeiramente o talento.  Após mais de 20 anos de carreira o reconhecimento de Doug como ator completo deslanchou nos últimos 5 anos… Ele tem recebido papéis com menos maquiagem e mais falas, entre lançamentos de 2009/2010 Doug participou de 6 longas! É o trabalho formiguinha, mas com qualidade.

Eu (particularmente) não sou fá do gênero macrabro, na verdade nem curto Monstros ou coisas from hell, mas o cara é bom, o trabalho é talentoso e acho que vale esse reconhecimento. Fiz uma composição de imagens com os personagens mais populares de Doug Jones, você irá se surpreender. Sim, ele fez todos esses filmes da sua infância e adolescencia!

Confima a filmografia de Doug Jones

GAINSBOURG: VIE HÉROÏQUE (2010) ‘La Gueule’
Director: Joann Sfar

GREYSCALE (In post-production) (2009) ‘Jamison’
Director: Ryan Dunlap

CYRUS (In post-production) (2009) ‘Dr. Dallas’
Director: Mark Vadik

MY NAME IS JERRY (2009) ‘Jerry Arthur’
Director: Morgan Mead

LEGION (2010) ‘Ice Cream Man’
Director: Scott Charles Stewart

SUPER CAPERS (2009) ‘Agent Smith #1’
Director: Ray Griggs

QUARANTINE (2008) ‘Thin Infected Man’
Director: John Erick Dowdle

HELLBOY II: THE GOLDEN ARMY (2008) ‘Abe Sapien’/’Angel of Death’/’The Chamberlain’
Director: Guillermo del Toro

FANTASTIC FOUR: RISE OF THE SILVER SURFER (2007) ‘Norrin Radd/The Silver Surfer’
Director: Tim Story

THE WAGER (In post-production) (2007) ‘Peter Bennett’
Director: Judson Pierce Morgan

THE DUKES OF HAZZARD: THE BEGINNING (2006) ‘Boar’s Nest Patron ‘
Director: Bob Berlinger

CARNIES (in post-production) (2008) ‘The Ratcatcher’
Director: Brian Corder

LADY IN THE WATER (2006) ‘Tartutic #4’
Director: M. Night Shyamalan

PAN’S LABYRINTH (2006) ‘El Fauno’/’Pale Man’
Director: Guillermo del Toro

THE BENCHWARMERS (2006) ‘Robot Number Seven’
Director: Denis Dugan

DOOM (2005) ‘Sewer Imp’/’Dr. Carmack Imp’/FPS Imps
Director: Andrzej Bartkowiak

THE CABINET OF DR. CALIGARI (2005) ‘Cesare’
Director: David Lee Fisher

HELLBOY (2004) ‘Abe Sapien’
Director: Guillermo del Toro

STUCK ON YOU (2003) ‘Space Alien #2’
Directors: Bobby & Peter Farrelly

ADAPTATION (2002) ‘Augustus Margary’
Director: Spike Jonze

MEN IN BLACK II (2002) ‘Joey’
Director: Barry Sonnenfeld

THE TIME MACHINE (2002) ‘Spy Morlock’
Director: Simon Wells

ALIEN HUNTER (TV) (2001) ‘Krabble’
Director: Kevin Rubio

MONKEYBONE (2001) ‘Yeti’
Director: Henry Selick

STEVEN SPIELBERG’S MOVIE (2000) ‘Donald Columbus’
Director: Alex Daltas

STALLED (2000) ‘Len’
Director: Stefan Haves

THE DARKLING (TV) (2000) ‘The Shadowmaster’
Director: Po-Chih Leong

BLESS THE CHILD (2000) ‘Alley Demon’
Director: Chuck Russell

THE ADVENTURES OF ROCKY AND BULLWINKLE (2000) ‘F.B.I. Agent’
Director: Des McAnuff

IDLE HANDS (1999) Hand double
Director: Rodman Flender

MYSTERY MEN (1999) ‘Pencil Head’
Director: Kinka Usher

THREE KINGS (1999) ‘Dead Iraqi Soldier’
Director: David O. Russell

BUG BUSTER (1998) ‘Mother Bug’
Director: Lorenzo Doumani

DENIAL (1998) ‘Ghost’
Director: Adam Rifkin

WARRIORS OF VIRTUE (1997) ‘Yee’
Director: Ronny Yu

MIMIC (1997) ‘Long John #2’
Director: Guillermo del Toro

THE ADVENTURES OF GALGAMETH (1996) ‘Big Galgy’
Director: Sean McNamara

TANK GIRL (1995) ‘Additional Ripper’
Director: Rachel Talalay

I’LL DO ANYTHING (1994) ‘Contortionist Dancer’
Director:James L. Brooks

MAGIC KID (1993)’Clown in office’
Director: Joseph Merhi

HOCUS POCUS (1993)’Billy Butcherson’
Director: Kenny Ortega

BATMAN RETURNS (1992)’Thin Clown’
Director: Tim Burton

HOOK (1991)’Pirate’
Director: Steven Spielberg

NIGHT ANGEL (1990) ‘Kenny’
Director: Dominique Othenin-Girard

THE NEWLYDEADS (1987)’Tim’
Director: Joseph Merhi

Veja mais em http://www.thedougjonesexperience.com