como agir em um terremoto (emocional)

5b69f94e407773d44071281d980fbd54

Terremotos, também conhecidos como abalos sísmicos, são fenômenos naturais que podem ser desencadeados por fatores como atividade vulcânica, falhas geológicas e, principalmente, pelo choque de placas tectônicas.

Mas na prática, você só precisa saber duas coisas sobre terremotos: a primeira é que eles são passageiros. A segunda é que ao contrário de furacões ou inundações, os terremotos vêm sem aviso e são geralmente seguidos por tremores secundários.

Bom, qual seria a importância de se estudar terremotos? Se você não mora no Japão, e não é um sismólogo de formação, saber sobre terremotos pode te ajudar a sobreviver emocionalmente quando se é atingido por um terremoto no relacionamento.

Agora volte para as duas premissas básicas acima: sim é difícil acreditar que eles são passageiros. Na verdade o terremoto passa, mas a destruição fica e os escombros vão estar lá por um bom tempo te lembrando de todas as perdas. Já o lance dos terremotos virem sem avisar é como uma batida de carro: “ninguém vê o carro vindo e de repente já não dá mais para frear”.

Para piorar, a ciência ainda sapateia nos nossos corações deixando claro que o ruim ainda pode piorar: “geralmente seguido por tremores secundários”. Afinal, quando se trata de um terremoto no relacionamento amoroso: desgraça pouca é bobagem!

O mais difícil mesmo é sobreviver a um terremoto. Primeiro, que isso desafia as probabilidades. Segundo, que sobreviver te força a encarar a realidade de destruição, perdas e mortes. Uma hora a poeira vai baixar, o estado de choque vai passar e você terá que escolher entre fight or flight, do or die!

O site WikiHow fez um passo a passo sobre: Como sobreviver a um terremoto e o que fazer após um terremoto. Eu adaptei as mesmas dicas para uma sobrevivência emocional diante de um terremoto no relacionamento.

  • “Se abaixe.Depois, procure uma cobertura segura o mais rápido possível”.

É o método mais indicado pela Cruz Vermelha. Isso não é tão difícil, pois quando o terremoto atinge seu relacionamento a primeira coisa que leva é a autoestima, ficamos prostrados e corremos para a segurança da família e amigos. Buscamos uma cobertura emocional externa, pois já não sobrou nada em nós mesmos. Essa técnica nos protege de ficarmos expostos a estilhaços e sermos atingidos, por exemplo, por uma luminária, que nesse caso pode ser uma crítica, uma fofoca, ou mesmo um post em redes sociais. Para completar: cubra seu rosto. Afinal, o que os olhos não vêem o coração não sente (tá, nem sempre é assim).

  • A Cruz Vermelha alerta: “você não deve correr!”.

O desespero é grande e bancar o Forest Gump tentando fugir de você mesmo pode parecer a única saída, no entanto “correndo você estará mais propenso a se machucar” (palavras da Cruz Vermelha, melhor não arriscar!).

 

  • “Espere um pouco e aguarde a agitação diminuir. Fique quietinho em qualquer lugar seguro”.

Ok, na prática é impossível! Dentro de nós uma britadeira de emoções agita o cérebro e o coração expulsando qualquer possibilidade de silêncio. Nesse caso, a agitação é de dentro para fora. O grande problema é o “quando?” essa medida de tempo em que um dia é uma eternidade….

  • Use o conceito de “triângulo da sobrevivência”.

Essa teoria consiste em procurar um espaço entre três estruturas grandes que, em caso de desabamento, protegeria esse vazio. (A imagem abaixo vai mostrar como isso funciona).

ttppad1-whstatic-comimagesthumb331react-during-an-earthquake-step-8-jpg670px-react-during-an-earthquake-step-8Uma vez encontrado essas estruturas, “fique em posição fetal” (orientam os especialistas). Esta última parte, a gente entende.

Na versão emocional, o triângulo pode ser formado pela amizade, a espiritualidade e o trabalho, por exemplo. Mas há quem opte por sexo, drogas e rock and roll.

Não morrer durante o terremoto não é suficiente. Do contrário, uma árida jornada se apresente depois do abalo. As dicas abaixo são bastante diretivas e também servem para um terremoto estrutural, mesmo parecendo que foram escritas para um terremoto afetivo.

Prossiga cuidadosamente, evite áreas danificadas,  

Saia de casa lentamente e veja o que restou em pé, considere que as estruturas ainda estão frágeis,

Inspecione sua casa,

Descubra vazamentos,

Tome cuidado com outros riscos advindos com terremotos,

Não ignore aos avisos, mesmo que sejam alarmes falsos,

Verifique se você não sofreu nenhum ferimento. Faça os primeiro socorros em si mesmo.

Terremotos estão entre os mais destrutivos desastres naturais e disso tudo uma coisa é certa: um terremoto iguala todos os atingidos na mesma condição – a de vítima.

Ninguém pode atrair um terremoto. Ele simplesmente acontece. E não faz outra coisa além de destruição. Existem alguns mecanismos que servem para diminuir o impacto dos terremotos. No Japão, instalam-se molas nas bases dos edifícios, quanto mais rígido é uma estrutura, mais ela sofre com o abalo. Nos relacionamentos, não é diferente, estruturas como confiança, respeito e flexibilidade, servem como bumpers e podem aliviar um pouco os impactos destrutivos. Algumas pessoas conseguem, sim, sobreviver, mas jamais serão as mesmas novamente.

Na prática, se preparar para um terremoto emocional é como se lembrar das orientações da aeromoça quando o avião está caindo…..

All We Do – Oh Wonder

Moderna e envolvente: A Berlim que não está nos livros e sua história não contada

dscn1403A Berlim que a gente aprende na escola meio assombrada pelo nazismo, carregada de sofrimento e símbolo de divisão não é a mesma cidade que se vê quando se passeia por ela. De fato Berlim foi um acidente no meu roteiro. Brasileiro quer mesmo é ir para Paris! Depois estica para a Espanha, Itália, se der tempo Portugal e se tiver dinheiro Inglaterra. Mas ter a Alemanha como protagonista de uma viagem, só pra quem pesquisou muito antes ou cai de paraquedas, como foi no meu caso. Eu cheguei ao país por Frankfurt e já que estava perto fui conhecer a Capital alemã.

O resultado foi surpreendente. O Muro de Berlim continua lá, em parte preservado, já a parte demolida marca no chão o tracejado que uma vez dividia uma cidade em dois mundos inimigos. Isso faz com que você, literalmente, ande sobre a história da geopolítica mundial. No meu caso, até colei um chiclete mastigado em uma parte do muro sem medo de ser preso por vandalismo. É que há um espaço onde essa prática transformou o muro em um grande painel de manifesto.

Alias, chegando a Berlim procure a East Side Gallery, é o trecho mais bem preservado do Muro que foi transformado em uma gigantesca galeria de arte a céu aberto, com direito a arte brasileira, inclusive. São quilômetros de manifestações políticas, sociais e até religiosas, nesse trecho, nada de chicletes.

A cidade é caracterizada por um contraste entre edifícios históricos e arquitetura contemporânea, entre tradição e modernidade às margens do Rio Spree. As atrações turísticas de Berlim contam a história de uma nação inteira, do Portão de Brandemburgo até os grandes edifícios do governo, entre eles o histórico Reichstag, a sede do parlamento alemão.

De manhã a dica é explorar o turismo histórico da cidade, como o Check Point Charlie, há uma réplica da estação que na Guerra Fria permitia mobilidade de pessoas entre a República Democratica Alemã (RDA) e a República Federativa da Alemanha (RFA), com direito a “soldados” americanos e russos para tirar foto. Se tiver estômago e curiosidade vá ao museu Topografia do Terror, por falar em museu, Berlim tem 175 opções, mais museu que dias de chuva. Mas a Topografia é diferente de tudo o que você já viu. A começar pelo lugar, o museu está localizado exatamente onde era o centro subterrâneo da Gestapo, a polícia secreta do Estado, administrada pela SS.

Juventude alemã, baladas e compras

Mas a proposta aqui é falar dessa Berlim pós-moderna, a começar pela quantidade de jovens que se vêem nas ruas, eles movimentam as baladas mais agitadas da Europa e isso atrai milhares de jovens de várias partes do mundo. Em números são cerca de 900 bares e 190 clubes e discotecas.

Incontáveis opções de compras oferecem a conhecida Kurfürstendamm, a elegante Friedrichstrasse e as butiques originais nos Hackesche Hofe. Não se assuste com o desfile de carros e roupas importadas, os berlinenses tem muito bom gosto por sinal, até por isso não espere um custo de vida barato! Você vai se deparar com uma cidade extremamente limpa, organizada onde o transporte público funciona e não há preocupação em andar a pé e sozinho.
Seja para um mochilão ou férias com a família, Berlim tem o poder de seduzir e agradar qualquer turista, e até surpreender, como foi no meu caso. Então berline-se!

*Renato Lima é jornalista e personal travel. Já viajou por 25 países e está no quarto passaporte. É autor do blogwww.renatolalonge.wordpress.com  Publica todas as quartas sobre viagens, turismo e vida no exterior. Fale com o autor: renato.mart@gmail.com (67) 99245-7574.

Para qual cama eu vou? Escolha da hospedagem pode ser tão interessante quanto destino

Você demorou uma semana para escolher o destino da sua viagem e fazendo o roteiro e vai reservar o primeiro hotel que aparecer na promoção? Claro que não! Existe uma gama de possibilidades diferentes e muito interessantes de hospedagem que vão transformar sua viagem em uma experiência única, inclusive quando você estiver dormindo!
Hostel, AirBnB, Couch Surfing são algumas opções de hospedagem que definitivamente destronaram o clássico e previsível hotel.

Eu já utilizei todas essas opções e vira e mexe as pessoas me perguntam: qual é o melhor tipo de hospedagem? Então eu respondo com várias outras perguntas: Qual o perfil da sua viagem? Quanto você pretender gastar? Vai viajar só ou acompanhado? O que você valoriza em uma viagem? Na real, não sei se eu acabo ajudando ou confundindo, ainda mais, essas pessoas. Então resolvi reunir algumas informações sobre cada tipo de hospedagem para você comparar e considerar na sua próxima viagem!

HOTEL

Placas de Transito do Brasilsim, ainda é a opção mais segura de hospedagem, privacidade e conforto (em alguns casos) são as maiores vantagens. Só cuidado com sites de busca que prometem oferecer descontos estratosféricos nas diárias. Em muitos casos os valores aparecem menores, mas na hora de fazer o pagamento surgem umas taxas inexplicáveis. Fato é que a concorrência, em geral, fez o setor baixar os preços. Em Miami, por exemplo, é possível encontrar diárias de hotel a partir de R$ 70 reais! Na Argentina, o governo retirou o imposto IVA de estrangeiros e hospedar em hotel ficou cerca de 20% mais barato para brasileiros. Aqui no Brasil, os preços de hotel variam tanto quanto a qualidade dos quartos. Fato é que a tarifa balcão é mais alta que reservar via agência de viagem e na hora de pagar prepare o bolso para acréscimo de ISS e taxas que podem elevar o preço entre 5% a 10%. Mas se você quer tomar café antes de sair e encontrar a cama arrumada quando voltar, o hotel foi feito para você!

HOSTEL

hi-toronto-hostel-23.jpgAntigamente era chamado de albergue da juventude, porém, passou por uma reestruturação de marketing para tirar a imagem de bagunça e pouca higiene. Em alguns casos isso funcionou, principalmente no exterior. Se for para Europa é uma opção de baixo custo, porém, a principal vantagem é o relacionamento. Se você viaja só, quer conhecer gente, se enturmar com outros turistas, descolar festas, passeios e companhias é a melhor opção. Desde que você não ligue em dormir em beliche e dividir o quarto com até 11 pessoas, um banheiro unisex e consiga dormir com barulho. Geralmente os hostels são bem localizados, isso é fundamental, significa economia em transporte e condições de deslocamento a pé. Pagando mais, há a possibilidade de reservar um quarto privativo, com um banheiro só para você. Alguns hostels cobram o aluguel de toalhas de banho e roupa de cama e nem todos oferecem café da manhã. Item fundamental para se hospedar em um hostel é levar o próprio cadeado. Trust me!
Onde encontrar: www.hostelworld.com  e www.hihostels.com

COUCH SURFING (CS)

couch-surfing-logoAo estilo “mi casa, su casa”, é uma rede de relacionamento para hospedagem com usuários do mundo inteiro e o melhor, é de graça! Porém, parar participar é preciso criar um perfil e as solicitações tanto para se hospedar quanto para hospedar algum viajante depende do grau de confiabilidade desse perfil. Ou seja, invista no relacionamento antes de sair pedindo pouso por aí! Assim como o nome diz, espere dormir em um sofá, se oferecerem a cama é lucro. A grande sacada do CS nem é o custo zero, mas a possibilidade de dormir na casa de um morador da cidade, conhecer a intimidade e a rotina dos locais. Viajantes solitários tem mais chances de conseguir hospedagem do que quem viaja acompanhado. Reserve tempo para passar com seu host, ele vai pedir para você cozinhar algum prato da sua cultura.
Onde encontrar: www.couchsurfing.com

 

AIRBNB

belo-1200x630-a0d52af6aba9463c82017da13912f19fJá ouviu a expressão americana “make yourself confortable” ? (sinta-se em casa). É a grande queridinha dos brasileiros que adoram economizar! No exterior já está bem consolidada como uma opção segura de hospedagem. Funciona a partir do site ou aplicativo. As pessoas cadastram suas casas: pode ser o imóvel inteiro, um quarto privativo, ou até mesmo uma cama. Cada opção tem um preço e o pagamento é feito via cartão de crédito direto pelo site (não há outra forma de pagamento!)

Entre as vantagens, os preços são geralmente mais baratos que hotel, oferece mais privacidade que hostel e algumas semelhanças do Couch Surfing, quanto a conhecer mais sobre a rotina dos moradores. Viajando em grupo é possível alugar uma casa inteira e mobiliada e cozinhar lá, economizando muito com alimentação durante sua viagem.  Fique de olho na localização. Em alta temporada os valores sobem bastante! Há uma versão específica para o público gay, o Mister BnB garante uma acolhida sem preconceitos!
Onde encontrar: www.airbnb.com.br e www.misterbandb.com

 

Matéria publicada no site Mídiamax: http://www.midiamax.com.br/turismo/cama-eu-vou-escolha-hospedagem-pode-ser-tao-interessante-quanto-destino-323896 

*Renato Lima é jornalista e personal travel. Já viajou por 25 países e está no quarto passaporte. É autor do blog www.renatolalonge.wordpress.com  Publica todas as quartas sobre viagens, turismo e vida no exterior. Fale com o autor: renato.mart@gmail.com (67) 99245-7574.

Minha Cidadania Italiana: o passaporte para o mundo

Meu bisavô morreu lavrador. Escolheu o solo brasileiro para plantar seu suor e seus sonhos. Aqui deixou sua semente que perpetuou por gerações. Em mim floresceu o resgate do seu legado. Sua herança hoje reconhecida. Sou brasileiro, sou italiano, sou um cidadão do mundo. Nono Francesco Palermi, eu honro sua história, que agora também é minha!”

IMG_0151

Conquistar o reconhecimento de um legado deixado pelo meu bisnono é uma alegria que palavras não conseguem traduzir o significado desse pedacinho de papel ai na minha mão!

 

Minha história, veja bem não minha saga, com a Cidadania Italiana é dividia em dois momentos: o primeiro que levou 10 anos, como muitos aqui, juntando documentos e dinheiro, caindo em armadilha de patronatos, nos encantos dos assessores celebridades que cobram em “PRATa” e te tratam como mais um número, promessas falsas e informações erradas!

 

O segundo momento foi mais curto: levou apenas dois meses: começou quando conheci a KF Bia Santos e a GCS Cidadania Italiana com Bia Santos. Um mês conversando e outro mês trabalhando!

Para aqueles que ainda estão no primeiro momento: se eu puder fazer algo para ajudá-los a não perderem 10 anos e muito dinheiro, vão direto para a Bia.

Não se prendam no menor preço, não se rendam ao nome mais famoso. Eu escolhi a pessoa que mostrou ser mais humana, que sonhou junto comigo, que me pegou pela mão do começo ao fim. Que não me tratou como mais um contrato ou mais uma cifra. Alguém que usou de transparência, ética e comprometimento em todos os momentos. Sempre jogou com a verdade e sempre com humildade. E que também exala competência, conhecimento das leis, das práticas, tem portas abertas em muitos locais, é reconhecida e respeitada, não tanto pela internet, mas pelas autoridades italianas. Que respeita o dinheiro do cliente e que é justa, no preço e no trabalho que faz.
É claro que chegar a etapa final depende de muitas variáveis, nem todas do controle do assessor, mas felizmente eu não fui o primeiro e nem o único que conseguiu a Cidadania em 30 dias.

Como eu passei por cada etapa – tanto as boas quanto as más – acho que tenho experiência e vivência para falar sobre o processo de Reconhecimento de Cidadania Italiana Jure  Sanguinis. Então, me coloco à disposição para ajudar com informações, dicas e compartilhar minha experiência.

Escrevam para renato.mart@gmail.com

13346967_1096500727082060_8115171415706467423_n

Cap 1 – De Volta ao Primeiro Olhar…

Well I’m not sure of my priorities   

When I’ve lost sight of whoever I’m meant to be

like holy water washing over me

You make it real for me

Ele acordou sentindo algo diferente no ar. Uma sensação como a de quando se come brigadeiro com morangos. Seus lábios arriscavam um sorriso espontâneo enquanto seus olhos formavam ruguinhas de felicidade. Virou-se,  correu os olhos no calendário e descobriu o que a memória do seu corpo já lembrava desde a primeira hora do dia……

how-to-pick-the-right-bar-for-a-business-meetingEra uma noite fria de julho, não tão fria como aquelas de bater o queixo, mas tinha uma brisa que arrepiava os pelos. Mas não era uma noite qualquer. Era o 23. O dia que mudaria a história daquele jovem pra sempre [mas ele ainda não sabia disso].

Ele chegou despretensiosamente. E assim ficaria se não fosse o barulho do seu coração a denunciá-lo em público de que algo estava acontecendo na sua alma. Ao subir a escala, como um imã, seus olhos desviaram de todas as pessoas – e havia muitas naquela noite – sendo atraídos para um único olhar escondido na outra ponta da mesa. Sentia gotículas de um suor frio escorrendo por dentro de sua camisa jeans.  Nessa altura já não conseguia controlar o rubor no seu rosto. Ao menos isso poderia culpar o frio!

Sentia um constrangimento gostoso. Uma timidez vestida de autoconfiança, por isso, preferiu sentar longe daquele olhar que o desconcertava. Buscou a proteção de quem já conhecia e engatou uma conversa alheia para controlar seus batimentos. Enquanto seus lábios diziam coisas que ele mesmo não ouvia… sua atenção cruzava aquela mesa, pescando discretamente os movimentos que ali aconteciam.

stenaxorimenos-sto-barFoi então que os céus se abriram… e um golpe do destino trouxe daquela distância para bem perto. Puxou uma cadeira e sentou-se quase do lado daquele jovem, entrando naquela conversa que nessa altura já não fazia mais sentido…. todos os sentidos de ambos estavam reféns daquele momento, daquele encontro, daquela presença…

Foi então que rendeu-se. Baixou suas defesas e entregou-se a algo que ele ainda não sabia o que era, mas que era bom. Não. Era mais que bom. Era novo, era inédito, era mágico, era espontâneo…. natural. Era um encontro de almas. Era 23 de julho e isso bastava…..

[ to be continued…]

I MISS MY BIGGEST HEART by Emily Dickinson

“…ele está aqui, vivo, vívido e inesquecível para sempre,

irrequieto demais para ficar deitado por muito tempo.”

(Stewart Stern)

tumblr_mv6c3iQuBP1r61x1mo1_1280

Abre com cuidado,

Nesta tarde, todo meu pensamento está voltado para ti, toda a minha prece é por ti. Penso que assim como estamos unidos pelo coração, poderíamos passear de mãos dadas, como crianças, pelo bosque e esquecer todos esses anos e essas dolorosas preocupações, e voltar a ser crianças – eu gostaria que fosse assim. E quando olho em torno e me vejo sozinho, suspiro por ti; pequeno suspiro, inútil suspiro que não vai trazer você de volta.

Preciso de ti mais e mais, e o mundo fica ainda maior, e os entes queridos se tornam menos e menos numerosos, a cada dia de tua ausência – tenho saudade do meu maior amor; meu coração vagueia e chama por ti.

Perdoa-me cada palavra que digo, meu coração só tem lugar para ti, só tu existe em meus pensamentos, e, no entanto, quando procuro algo para lhe dizer, faltam-me palavras. Se estivesses aqui. Ah se estivesses, não precisaríamos falar nada, nossos olhos falariam por nós, aos murmúrios, e tua mão na minha, não precisaríamos de palavras – procuro trazer-te para perto.

Até chegar o grande dia, minha impaciência há de alimentar mais e mais, pois só chorei por ti; agora, começo a esperar por ti.

Eu queria te mandar uma coisa que te agradasse muito e pensei muito até ver minhas pequenas violetas: elas imploraram para ir, e, por tanto, aí estão. São pequenas e receio que agora não tenham perfume, porém te falarão de afetos ardentes e de algo fiel que nunca adormece – coloque-as sob seu travesseiro, para que te façam sonhar com céus azuis, com o lar, com a terra abençoada.

Agora, adeus. A mãe te manda lembranças e eu acrescento um beijo, timidamente, se estás com alguém. Não deixes ninguém ver, está bem?

———-

Eu peço licença à Emily Dickinson e empresto esta carta que ela escreveu em 1852. Palavras que eu gostaria de empenhá-las hoje, 163 anos depois, dão sentido ao meu presente espírito. Não sei qual efeito provocou em Susie, a quem Emily destinava todo seu amor. Mas posso compreender o que Dickinson sentia ao escrevê-la. Chamada de “A Grande Reclusa”, em vez de personalidade solitária, Emily, talvez, estivesse mais para incompreendida. Obrigado cara Emily, falastes pelos meus próprios afetos. //

>> Retirado do livro “Cartas Extraordinárias”, Cia das Letras.

Não somos o que sentimos, mas podemos ser

tumblr_nnkppqDODQ1sszcpso7_1280Ultimamente eu ouvi várias vezes a expressão “o que somos, a não ser aquilo que sentimos”… Soava nos meus ouvidos com tanta convicção que por pouco quase me deixei levar por essa “filosofia de vida”.

Certamente ela explica muita coisa. Mas diante de tanta dor, sofrimento e tristeza eu pude olhar para mim mesmo e, simplesmente, eu não poderia aceitar SER tudo aquilo que estava sentindo!

Então me lembrei de um versículo da bíblia, em Jeremias 17:9 “Quem pode entender o coração humano? Não há nada que engane tanto quanto ele”. Em outra tradução esse mesmo versículo fala que “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa. Quem o conhecerá?”.

Se há mais de dois mil anos os homens questionavam o coração como uma “terra estranha”, como posso, então, entregar tudo o que sou ao que sinto? É fato que em um único dia podemos sentir tantas coisas diferentes, contraditórias e confusas. Emoções que afetam o humor, o comportamento, as tomadas de decisão.

Todo mundo dentro de si carrega, necessariamente, as quatro emoções inatas do ser humano: felicidade, tristeza, raiva e medo… Somos a soma, a mistura, a fusão e sinergia desses quatro pilares…. Ora um fica mais evidente, ora outro… e isso é o que nos move para a auto-preservação e multiplicação, mas não o que nos define!

Realmente definir o nosso ser apenas pelos sentimentos é limitar toda a complexidade que é o ser humano. CE2vlKfWgAAcD3-Não consigo acreditar que somos o que sentimos. Mas acredito que podemos ser, sim, o que sentimos. Da mesma forma que podemos ser o que pensamos. Na verdade podemos ser o que quisermos ser. Nos tornamos aquilo em que acreditamos e de certa forma isso passa a fazer sentido pra quem acredita.

Somos um “tornar-se”… a vida é um gerúndio de crescimento, aprendizagem, mudança…. “Nada é mais simples, não há outra forma, nada de perde, tudo se transforma” (J.D.)

Há momentos em que é necessário contrariar os sentimentos para seguir em frente. Eles vão continuar lá, gritando….. Mas é preciso se apoiar na fé naquilo em que se acredita.

Afinal, somos as nossas próprias escolhas e todas as consequencias advindas… Mas não só isso, somos também as escolhas que ainda iremos fazer!

“É hora de se guardar, um segredo no coração

Licença sofrética

tumblr_kxata5ljAn1qa1f2go1_1280

Licença poética é uma incorreção de linguagem permitida na poesia. Em sentido mais amplo, são opiniões, afirmações, teorias e situações que não seriam aceitáveis fora do campo da literatura. Ou seja, é uma permissão para matar a norma culta, transgredir a gramática e usar de total liberdade para se expressar com o uso das palavras.

É como se fosse um direito que o escritor tem para, deliberadamente, manipular as palavras de acordo com as próprias intenções.

É uma licença para errar, porém, mais que isso, é uma proteção para não ser julgado pelo que se irá escrever. É um álibi para ser quem é e expressar o que deseja, sem se preocupar em observar as normas e convenções.

hqdefault   Fato é que na literatura até para errar criaram um protocolo, deram um nome, uma definição. Assim, também tentam enquadrar sentimentos e emoções. A expressão do que se sente já não pode ser espontânea e natural. Como se para sofrer fosse preciso de uma Licença que permita o direito a contrariar a felicidade normativa.

Kate Nash, quando canta “Nicest Thing”, simplesmente dá voz e vez aos seus mais primitivos e sinceros sentimentos, sonhos e desejos. Sem pedir licença, seu coração grita suas dores, expectativas e frustrações em um sofrimento genuíno.

Não se pode pedir licença para sentir e para sofrer.

Nicest Thing (Kate Nash)

Tudo que eu sei é que você é tão adorável

Você é a coisa mais adorável que já vi

Eu queria que nós levássemos isso adiante

Ver se nós poderíamos ser algo

Eu gostaria de ser a sua garota favorita

Eu gostaria que você pensasse que eu fosse a razão de você estar no mundo

Eu gostaria que meu sorriso fosse o seu tipo favorito de sorriso

Eu gostaria que o jeito como eu me visto fosse o seu tipo favorito de estilo

Eu gostaria que você não conseguisse me entender

Mas você sempre quisesse saber o que eu tinha

Eu gostaria que você segurasse a minha mão quando eu estivesse chateada

Eu gostaria que você nunca esquecesse o meu olhar quando nós nos conhecemos

Eu gostaria de ter uma mancha na pele que você amasse secretamente

Porque estaria em um lugar um pouco escondido que ninguém mais poderia ver

Basicamente, eu gostaria que você me amasse

Eu gostaria que você precisasse de mim

Eu gostaria que você soubesse que quando eu dissesse duas colheres de açúcar, na verdade eu queria dizer três

Eu gostaria que sem mim o seu coração se partisse

Sim, eu gostaria que sem mim você

Passasse o resto de suas noites acordado

Eu gostaria que sem mim você não pudesse comer

Sim, eu gostaria de ser a última coisa em sua mente antes de dormir

Olha, tudo que eu sei é que

Você é a coisa mais adorável que eu já vi

E eu queria ver se nós pudéssemos ser algo

Sim, eu queria ver se nós pudéssemos ser algo

Meu doce amor

heart-candy-small1

Meu doce amor,

Ao repetir essa frase “meu doce amor”, me dou conta de que é impossível pronunciá-la sem sorrir ….. a mistura de “doce” com “amor” resulta em um tom de voz sereno e gentil. Assim como você é. Assim como tudo em você é. Isso me faz querer compor uma música de uma frase só….

Me realizo neste pronome onde você, primeira pessoa tão singular, se faz minha com apenas três letras. Depois traduzo todos os seus predicados em uma única palavra. Palavra sinestésica que aguça os sentidos, dilata as pupilas e faz querer lamber os dedos de prazer. Então vem você, o sujeito da oração. Oração que eu faço todos os dias para que este amor nunca falte e jamais falhe.

Ainda sinto nos meus lábios, o gosto do seu amor.

[…]

Minha única possibilidade

olhos_007Sem dúvidas foi o brilho. Da luz que emanava daqueles grandes olhos que atravessavam a longa mesa e corria em minha direção me tomando de claridade. Uma luz que dissipava toda a escuridão de dentro de mim e me mostrava coisas lindas que eu mesmo desconhecia.

Aqueles olhos me olharam como nenhum outro jamais me olhou. E como jamais serei olhado novamente. Pois daquele olhar só existe um, o seu.

Fiz então dos seus olhos a minha lanterna. Para me guiar por lugares onde jamais tinha visitado. Descia cada vez mais fundo por sentimentos que me traziam segurança, proteção e conforto.

No caminho fui envolvido por uma doçura de arrebatar o coração para outro plano. Rompendo a gravidade até descolar meus pés do chão. Nos seus braços, senti o aconchego de colo e o fôlego de vida.

Foi a partir daquele olhar em que eu passei a descobrir a verdadeira vida. Aquela que nasce no e do encontro. Um encontro de almas. Um encontro marcado.

Em você eu descobri a mim mesmo. Com você eu aprendi a conjugar a primeira pessoa do plural. Mas foi por você que eu fiz do voltar minha maneira de não ir.

Tudo para que aquele olhar continuasse a beijar meus olhos, enchendo de borboletas a minha barriga e de sinos os meus ouvidos.

Daquele olhar ficaram três coisas: a surpresa do entregar-se, a sinergia do encontro, e a minha única possibilidade de poder me ver refletido nos seus olhos novamente.

P.S: desafio aceito! Desta mesma fonte também jorra outras inspirações além de dor e sofrimento.