Feliz Marco Novo!

Obelisco de Campo Grande - MS (Av. Afonso Pena)

Na minha cidade tem um monumento de concreto chamado Obelisco. O mesmo deve existir em várias outras cidades, talvez com nomes diferentes, mas fato é que esse falo gigante é cheio de significado que, mesmo sem as pessoas saberem, utilizam-no com sua semântica maior quando dizem “fica ali, perto do Obelisco…”, ou então, “… passando o Obelisco”.

Aquele monumento foi colocado ali para jamais ser removido. Foi instalado após um grande evento no local. Foi construído naquele lugar para sempre lembrar um determinado fato, um momento, uma história. Lá está ele, bem visível, de concreto, resistindo ao tempo e às intempéries da natureza, porque ele foi feito para resistir e existe graças a algo que já aconteceu, não dependendo do que irá acontecer futuramente.

O Obelisco na minha cidade marca justamente a fundação da cidade. E seja lá o que acontecer com essa cidade daqui pra frente, ele sempre irá remeter ao passado dela.

Esses monumentos também são chamados de marcos, utilizados desde a antiguidade para estabelecer limites. Quando no mundo não existiam cercas, eram os marcos que delimitavam até onde cada um podia pisar. Nos tempos bíblicos os marcos eram erguidos com pedras no lugar onde milagres aconteciam, eram símbolos de um importante momento na vida de uma pessoa. A vida e a morte são representadas por marcos.

Me lembro que, ainda no ensino médio, no meio da aula a professora chamou a atenção de um aluno que estava atrapalhando e diante da ameaça de “anotar o nome na caderneta”, ele respondeu: “Ah, professora! Está me marcando?!”. Aquele diálogo carregado de tensão e significamos ficou na minha memória, na hora eu me lembrei de bois sendo marcados a ferro quente. Naquele momento, diante de todos os alunos, aquele jovem estava, sim, sendo marcado.

Então, hoje vejo que ao longo da vida nós erguemos MARCOS, seja para limitar espaços no nosso coração, seja para eternizar alguém, ou algum momento, seja para por fim em algo (a famosa pedra sobre o que passou). Ao longo da vida somos marcados, algumas vezes a ferro frio, sentimos o arrepio térmico, mas logo passa….. outras vezes a ferro quente, agonizando a dor da perfuração…. e mesmo percebendo que não morremos – como imaginávamos – está lá, na pele, a marca cicatrizada.

Mas de tudo isso percebo que nenhum marco se faz por si só. É preciso que alguém o estabeleça que coloque o significado na pedra. No dicionário, marco também significa baliza, algo que usamos para ponderar conceitos, um guia, uma orientação.

Sendo assim, precisamos estabelecer marcos na vida e seguir enfrente. Mesmo que no futuro ele vire apenas um ponto geográfico.

Chegamos ao final de mais um ano. Muitas coisas aconteceram. Provavelmente não nos lembraremos de todas, mas jamais esqueceremos aquelas que nos marcaram. Porque as que marcam… nos mudam em alguma coisa. Então vale apena retroceder nos últimos 12 meses e restabelecer alguns marcos deixados e utilizá-los em nosso favor, para o nosso bem.

Em 2012 haverá outros marcos, mas que sejam novos. Que os marcos negativos sirvam para lembrar a nós que não precisamos passar por isso novamente. Talvez hoje seja um dia de estabelecer um marco, colocar um limite – um fim e um começo –

Feliz Marco Novo!

Renato Lima

Anúncios

Sobre Renato Lima

Jornalista, estudante de psicologia, mochileiro e observador de comportamento.

Publicado em 26/12/2011, em Mood. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: