Eu Te Amo, e daí ?

 *autor falecido

Talvez o maior problema das pessoas não seja a busca por um grande amor. (na verdade esse pode ser o segundo maior problema). Mas a grande questão é que cada um faz com esse “amor”.

Você pode cultivar esse amor como uma jóia preciosa e então guardá-lo em um cofre . Bom, assim você tem a certeza que ninguém ira roubar o seu amor e também o manterá sempre seguro.

Também pode tratar o amor como uma pelúcia. Aquelas boas para dormir abraçadinho. Quando chega o frio e a solidão da noite você tira o amor da prateleira, agarra-o com todas as forças e na manhã seguinte, ele vai para a prateleira. Afinal, é sempre bom ter um amor à disposição para quando a gente precisa. E saber que ele está lá, quietinho, para quando a gente não está tão a fim também.

Ou então existe também o amor com a maiúsculo, aquele estilo divindade. É colocado em um altar e idolatrado. Desejado com todas as forças, mas sempre à distância. O relacionamento é quase um culto de adoração, porém inalcançável.

Entre essas existem ainda incontável formas de colocar o amor em prática. Isso porque as pessoas estão sempre criando jeitos novos de encarar o amor. Fato é que o amor é e sempre será perfeito. Mas não perfeitas são as mãos por onde esse amor passa. Isso faz com que o amor seja um bem vulnerável, fugaz, efêmero…..

Eu te amo e daí, fala sobre “amor não basta”. Remete ao que cada um faz com seu amor. Esse sentimento completo e indivisível….. Em outras palavras, onde tem o amor não pode caber a traição. Já que esse primeiro é bem espaçoso e gosta de preencher todo o vazio. Amor é um sentimento invariável…. não existe menos amor…. embora “eu te amo tanto” seja uma medida arrebatadora para casais apaixonados.

O amor fala que nenhuma boca vai ter o mesmo sabor que a sua. Que depois de você não há outros…. O amor que se entrega fica marcado, como digitais em uma lamina de vidro….. O amor machuca-se facilmente, talvez ele não seja muito bom em se defender. Também não se vinga por si só. Tampouco consegue se regenerar sozinho…. Assim, perde a cor, a força e é tomado pelas feridas. Morre.

Dizem que pra tudo tem jeito, só não tem jeito pra morte. Mas e quando o amor morre? Eu te amor e daí….. tah lá o corpo estendido no chão!

Anúncios

Sobre Renato Lima

Jornalista, psicólogo, mochileiro e observador de comportamento.

Publicado em 10/07/2011, em Mood e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: