Xixi no banho uma ova – Sustentabilidade Hipócrita!

Tudo começou com a Campanha da SOS Mata Atlântica “Faça Xixi no Banho”. O vídeo desenvolvido pela agência Comunique9  orienta crianças, adultos, seres mitológicos e até monstros a urinarem dentro do Box.  Mas a narrativa infantil e a animação escondem a hipocrisia da sustentabilidade!

Em uma roda de tereré conversei com a psicóloga Luisa Helena* (conheça mais sobre ela no final do post) sobre os mitos da sustentabilidade implantados erroneamente pela publicidade, ludibriando a sociedade.

ASSISTA O VÍDEO E DEPOIS CONFIRA OS ARGUMENTOS QUE DERRUBAM ESSA CAMPANHA E MOSTRAM COMO ESSA SUSTENTABILIDADE É HIPÓCRITA!


TEORIA DO ASSEIO -> Imagina na sua casa…. Pai, mãe, irmãos… todos MIJANDO no banheiro…. uma área de no máximo 1×1 metro com um ralo de 10 cm  de circunferência…. Cada pessoa adulta produz cerca de 1,5 litros de URINA por dia sendo despejado no banheiro, espalhando por toda aquela área….

Uréia, fosfato, sulfato, amônia, magnésio, cálcio, ácido úrico, creatina, sódio, potássio… infiltrando no rejunte do piso, grudando no azulejo, box e criando colônias de bactérias que produzem aquele mau cheiro resultado da liberação de amoníaco. Ou seja o banheiro se tornara em um criadouro de bactérias e doenças de banheiro de rodoviária.

TEORIA DO GASTO INVERSO -> A campanha defende  o Xixi no banho a fim de evitar o gasto de até 12 litros de água por descarga. Porém, quanto irá se gastar de produtos químicos como sabão, água sanitária, desinfetante  para lavar o fétido box e higienizar o banheiro? Além de alimentar a indústria de buchas e vassouras que também usam água potável na produção. Ou seja, os 12 litros de água economizados na descarga foram gastos pelo MIJÃO indiretamente nas indústrias de produtos de limpeza , a medida que ele aumentou o consumo.

CACHORRO EMITE MAIS GÁS CARBÔNICO QUE CARROS

Outro exemplo dessa pseudosustentabilidade, descurso hipócrita que as pessoas estão comprendo sem refletir é a reportagem veiculada no Fantástico, dizendo que cães emitem mais gás carbônico que carros.

ASSISTA O VÍDEO E DEPOIS CONFIRA OS ARGUMENTOS QUE DERRUBAM ESSA CAMPANHA E MOSTRAM COMO ESSA SUSTENTABILIDADE É HIPÓCRITA!

Enquanto tentam fazer dos cães uma “caça as bruxas”. Levando aquele que já foi chamado de “melhor amigo do homem” à inquisição, Luisa Helena aponta a prática do chuveirinho, realizada por milhares de mulheres (segundo ela), como mais nociva ao meio ambiente.

TEORIA DO ORGASMO POLUIDOR –> Não é quando você transa no lixão! Luisa explica queé muito comum entre as mulheres a prática da “estimulação clitoriana” com o chuveirinho do banheiro. Segundo a psicóloga, essa prática gasta muito mais água potável que a descarga do xixi. Gerando mais aquecimento global através dos processos de despoluição dessa água.  Pesquisas mostram que a maioria das mulheres demoram mais que os homens para atingir o orgasmo, o que potencializa ainda mais o consumo de água. Bem de valor inestimável! Nesse caso, para aquelas que realmente estão preocupadas com o meio ambiente e querem ter práticas mais sustentáveis, existem outras alternativas como “make it yourself”.

*Luisa Helena é formada em psicologia pela UFMS. É também tudo aquilo que sua mãe não deixou você ser e com dois polegares opositores consegue usar a lingüística satírica para confrontar tudo e todos com a psicanálise da libertação, teoria desenvolvida por ela mesma onde objetivo é fazer com que o ser humano se liberte de si mesmo.  Com oratória ácida e argumentos corrosivos, Luisa usa a persuasão lúdica para destruir conceitos e pré-conceitos implantados na sua cabeça pela cultura do senso comum. Apresenta grande habilidade em implantar interrogações e bagunçar personalidades alheias com precisão cirúrgica. Luisa Helena é uma experiência que exige alto nível de imunidade e pode causar dependência.

Anúncios

Sobre Renato Lima

Jornalista, psicólogo, mochileiro e observador de comportamento.

Publicado em 10/02/2010, em Mood e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 18 Comentários.

  1. Luisa Helena

    Adoray.

  2. Nossa, preciso conhecer essa Luisa Helena.

  3. Afff! Que medo dessa tal Luisa Helena! hahahaha

  4. Gostaria de conhecer a tal Luisa Helena para poder questioná-la! Primeiramente, quantos anos você passou urinando no seu box para criar tão grotescamente descritas “colônias de bactérias”? Se você não urina no banho, você não lava o seu box ao menos mensalmente? Você realmente acha que urinar no banho significa cobrir todos os cantos do box de mijo?
    Quanto tempo você passou pesquisando e experimentando para afirmar que as bactérias da urina se mantêm e se proliferam no box? E quanto tempo você acha que uma empresa responsável levaria fazendo o mesmo para veicular uma campanha destinada ao país todo?

    E quanto à reportagem sobre os cães, você realmente acha que a intenção seria “demonizar” cachorrinhos? Creio que a verdadeira razão por trás disso seja mera curiosidade.

    A respeito das mulheres: Se te dizem para não demorar no banho, não apertar demais a descarga e evitar escovar os dentes com a torneira aberta, você tem que ser muito tapada pra usar a água do banho pra se masturbar.
    Você também tem que ser meio tapada pra sair usando a palavra “Hipocrisia” sem ter real embasamento.
    Seu diplominha de psicologia não vai valer nada se não souber o que fazer com tudo que aprendeu.

  5. 1) Gostaria de dizer a amiga aí que este Blog não tem embasamento científico e essas conclusões foram obtidas após uma conversa INFORMAL numa roda de tereré.

    2) Se quisesse mesmo me conhecer pra me perguntar essas coisas poderia ter sido um pouco mais educada, sem vir com essa de conhecer essa “tal de Luisa Helena” e nem se referir ao meu diploma como “diplominha”. Além de tudo questionar sobre o meu asseio e a limpeza do MEU banheiro (pode vir limpar quando quiser, que eu não mijo no Box). Não é porque o Renato disse alí que eu tenho argumentos ácidos que eu não sei ser educada.

    3) Você poderia ter colocado aí qual a sua formação e qual a sua opinião sobre, porque só criticar é muito fácil.

    4) Aprenda a ter sendo de humor.

    5) Tô achando que tem um amor platônico aí pelo Renato. Porque você não falou dele nenhuma vez? Acha que eu pensei em tudo sozinha? Huahuahua

    6) Se você gosta de mijar no Box e ficar com o banheiro fedendo, prolema seu. A gente não gosta.

    Muah muah! Volte sempre, mas a próxima vez deixa pelo menos o d
    dinheiro do taxi! Huahuahua

    PS.: Eu escrevo em tópicos porque penso em tópicos. Eu ia falar sobre os cachorros, mas tô com preguiça agora… Se ela responder eu continuo argumentando huahuahua.

  6. Ah só mais uma coisa. Se você não conseguiu ver que a gente tentou fazer uma crítica às mulheres que usam a água como meio de satisfação sexual. É com pesar que eu te digo que a tapada é você =)

  7. Eu não conheço o autor do blog, vim parar aqui ao acaso, procurando pelo vídeo sobre a campanha.

    Se a sua conversa foi tão INFORMAL, a abordagem do assunto no blog deveria ter sido tão informal quanto.
    Você estando pronta pra criticar algo, deve estar pronta para ter as suas críticas rebatidas.
    Eu tenho senso de humor e não vi graça nenhuma nesse post.
    Meu banheiro não fede e eu urino no box todos os dias.

    A internet é um meio aberto. Se vocês decidiram expor suas opiniões aqui – você sendo responsável pelo que o autor do blog disse a seu respeito – têm que estar prontos pra levar de volta.

    A propósito, pra mim é tão fácil te criticar sem ter um diploma de psicologia, quando pra você é fácil criticar a campanha feita por pessoas que simplesmente trabalham com isso.

  8. Não disse que você precisava de um diploma de psicologia pra me criticar. E também não me interessa saber sobre o cheiro do seu banheiro.

    A internet com certeza é um meio aberto e você pode criticar meio mundo Raimundo, se quiser. Mas faça com educação, não menosprezando a nossa formação (minha e do Renato) e nem usando de ironia. Aliás, até pode ser mal educada, mas vai ter que arcar com as conseqüências disso, assim como a gente teve que arcar com a conseqüência de ler esse seu comentário infeliz.

    By the way, mije no Box and be happy…

  9. Primeiramente, gostaria de elogiar o post, não é todo dia que vemos pessoas preocupadas com o meio-ambiente. Segundo que, por menos argumentos científicos que tenha, o post é válido sim, para que possamos pensar um pouco e não ficar engolindo propaganda enlatada por aí. O que a autora do texto quis dizer é que, tem tanta gente preocupada com as grandes coisas que se esquece das pequenas, como por exemplo a de se masturbar no chuveirinho.
    E a propósito, teve uma menina que criticou com afinco a Luisa (que eu gostaria de conhecer tbem) atacando ela pessoalmente. Isso é coisa de quem não tem argumento.. apelou perdeu colega..
    Pronto, chega, vocês nao merecem ficar comigo nem com o meu anjo.. Fuiii..

  10. carlos novo fã de luisa

    Ainda neste instante pude perceber a “sutileza” de tais comentários, voltados para luiza helena, e com relação a tais comentários teço os meus levando em conta alguns aspectos do mundo atual, dos sites de relacionamentos a revistas femininas pessoas de todos os lados comentam esta pratica lamentável da masturbação pelo chuveirinho, não questiono a masturbação, cada um faz o que bem entende de seu corpo no entanto, da critica sutil apresentada por Luiza helena pensemos o seguinte, se tantos lugares é comentado tal pratica, qual é o balanço disso pra o meio ambiente? porque outra técnica não seria usada para a masturbação? no que isso é de valor para a natureza? Espinosa nos põe diante desta questão, dando ao ser humano a noção de totalidade, assim o que parecia ser benéfico para quem se utilizados recursos naturais para tal pratica, deixa para os seus filhos, netos e futuras gerações, um déficit se estamos falando em totalidade, porque não validar cientificamente um comentário feito em uma roda de conversa, ora se não foi validado em um artigo, porque não validar. Sempre me esqueço que as pessoas apresentam muito mais valia em opiniões hipócritas, estou contigo Luisa, gostei de sua idéia, e se quiser pesquisar comigo o assunto será muito válido.

  11. Antes de tudo, gostaria de elogiar o post. Muito bem feito e causou polêmica, como todo bom post deve causar.
    Bem, acho que não seria preciso especificar que esse post foi completamente informal, logo que o autor disse que foi uma conversa numa roda de tereré. Bolas, o que poderia sair de formal numa roda de tereré?!
    Sou da opinião de que urinar no banho não adianta muita coisa, mesmo. Tentamos compensar de um lado e acabamos falhando em outro.
    É assim que é, infelizmente. Mas isso não exclui o fato de que lutar pela preservação do planeta é preciso, mesmo que seja uma luta que jamais iremos terminar e/ou vencer. Já o danificamos demais. Iremos desaparecer e, provavelmente, a natureza dará um jeito nela mesma. Mas concordo que toda essa campanha é duvidosa e, como disse, tira de um pra colocar em outro. Vc descobre a parte de cima tentando cobrir a parte de baixo.
    Quanto ao chuveirinho… Moças, tenho certeza que há um rapaz no mundo para cada uma de vocês, sonhando em fazê-las felizes. Deixem o chuveirinho em paz.
    Quanto ao ‘furdunço’ digo que, quando ataca uma pessoa de maneira pessoal e a denigre como Luisa Helena foi denegrida, o agressor perde a razão e credibilidade.
    É o puro ‘se não sabe brincar, não brinca.’

  12. Paulo Cesar Angelo

    Bom dia Renato e Luisa Helena.
    Após ler o post, vejo um ponto de vista interessante idealizado pela psicóloga Luisa Helena, que é mostrar os possíveis problemas que a campanha pode gerar caso não seja bem interpretada.

    Por outro lado, acredito que o que gerou mais discordia com relação as pessoas que comentaram,
    é que em alguns pontos do post, tenta-se usar o título da psicóloga para alavancar maior credibilidade
    para as teorias propostas, e isso pode ser interpretado como tão enganador quanto a publicidade atual,
    que sem escrúpulos utiliza de diversos recursos como psicologia do consumidor, gestalt, comportamental, social e o que tiver a mão, se esquecendo da ética e moral.

    Obvio que na roda de tereré, todos podemos ter opiniões com valores baseados em conhecimento empírico ( referente a teoria do conhecimento), porém, o fato de uma pessoa possuir um título
    (de psicologia ou qualquer outro) não torna essa opinião
    com maior ou menor grau de embasamento científico, a não ser que traga fontes científicas/pesquisas científicas, não é mesmo?
    Se agirmos dessa forma, nos aproveitamos de títulos de graduação ou pós-graduação para suplantar nossas opiniões pessoais, estamos nos rebaixando ao nível dos publicitários hipócritas que conduzem a massa com tanta habilidade.

    Apesar das críticas, vocês dois (Renato e Luisa) estão de parabéns por terem coragem de se expor, mostrando o
    que realmente pensam, e questionando a massa que muitas vezes se porta como zumbis conduzidos por poucos.
    Abraços
    Paulo Cesar Angelo

  13. Depois do comentário do Paulo, reli o post e, realmente, em alguns momentos, parece que a palavra “psicóloga” assusta um pouco… “Assusta”, melhor dizendo.
    Em momento nenhum quis me beneficiar desse título (mesmo porque eu não acho benefício nenhum em tê-lo, eu disse N-E-N-H-U-M) e creio que o Renato também não teve a intenção.
    Mas valeu a crítica, construtiva, construtivíssima. Esse foi o primeiro, os próximos serão melhores (ou não hahaha).

    Então é isso, adoro ler coisa que gente inteligente escreve…
    MUAH a todos =*

  14. Paulo Cesar Angelo

    Oi Luisa, muito bacana da sua parte fazer a releitura do post e comentar a respeito. Você tem razão, as vezes as palavras usadas como no caso que você citou acaba assustando “as pessoas de fora” risos.
    + Eu compreendi a idéia central que você e o Renato comentaram e gostei bastante, é sempre válido questionar alguns comportamentos/atitudes que todos fazem simplesmente pelo motivos que todos fazem… né? (Moda? Cultura? Padrão? Normal?)
    Se pararmos para pensar, tem muita coisa desse tipo, que atualmente já não faz mais sentido, porém existe… já parou para pensar a respeito do motivo que nosso teclado é disposto neste layout tão estranho (para quem está começando a aprender digitação?) ? A resposta pode deixar qualquer um de cabelos em pé…veja http://pt.wikipedia.org/wiki/QWERTY

    Fora outras coisas como a imunidade política, que na época da ditadura era bastante importante para manter a integridade dos políticos, porém hj… parece que só serve para acobertar falcatruas que muitos deles cometem…

    Enfim, eu também me revolto com diversas coisas desse tipo e é bom saber que aqui encontro pessoas inteligentes e humildes para conversar, pois é justamente conversando a respeito do “normal” que podemos pensar em algo melhor, e fugir do “mediocre”.

    Parabéns novamente.

    Beijo
    Paulo Cesar Angelo

  15. “Esta campanha da SOS Mata Atlântica é simples, mas eficiente. A cada vez que uma pessoa faz xixi no banho, ela economiza uma descarga. Para descargas com caixa acoplada são pelo menos … ”

    Para ver o resto dessa dica e muito mais acesse:
    http://www.walmartsustentabilidade.com.br/dicas-sustentabilidade/fazer-xixi-no-banho-ajuda-a-proteger-a-natureza-90.html

  16. fatima aranha

    Creio que isso é uma nojeira mesmo. O minjo espirra no box e azulejo simmmmm, e tem mais, cada pessoa tem um odor diferente, se tomar alguns remedios, fedem mesmo!! Só porque lavo o banheiro , no mínimo, 1 vez por semana , vou fazer essa nojeira no box?? Nojentíssimo. Tomo muita água e minha urina nem amarela é, porem não aceito isso aí , não. Vc sabe onde seu minjo espirrou , para jogar mais água e limpar cada gotinha???

  17. Gosto da crítica, por outro viés. Quanto a mídia e outros meios querem nos culpar pelo esperdicio de água, os mesmos apóiam grandes empresas extrangeiras a consumir números absurdos de água, como as multinacionais do agronegócio. Existem estudos científicos que comprova isso. O fato da pessoa urinar ou não no chuveiro, ter prazer sexual com a dulcha, ou até mesmo demorar horas no chuveiro não muda o problema ambiental ( claro que devemos fazer nossa parte). Se queremos ser ativistas ativos ou passivos, devemos combater o problema maior. Nossa água está sendo exportada para países americanos, europeus e asiáticos. Se querem saber mais sobre isso, entre em contato.
    pedrounbledoc@gmail.com.com.

  18. 1 – Não vi a campanha (por isso n sei dizer se ela diz para fazer “xixi” normalmente durante o dia ou apenas quando estiver tomando banho) pois são coisas totalmente diferentes
    2 – Me pergunto que diferença existe em “mijar” no box ou lavar suas partes íntimas no box já que elas estão tão cheias de “impurezas” quanto a própria urina
    3 – Outra questão levantada, urinar no box espalha nos azulejos, etc e tal, no caso não para as mulheres mas sim para os homens, vcs acham mesmo que urinando no vaso não existe respingos na área do vaso sanitário?
    4 – Esta é uma problemática muito bacana q poderia ser facilmente parte de uma tese
    5 – Particularmente falando, sem embasamento teórico, acredito que não exista diferença em questão de se criar um ambiente pior fazendo tal ato afinal de contas vocês possuem controle de todos que tomam banho para poderem falar “não, aqui em casa ninguém faz tal ato”
    P.S. Interessante como cada um é capaz de criar ideias sobre coisas que nunca pararam para pensar ou analisar à fundo, a mente é algo incrível!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: