500 (turbulentos) Dias com Ela

“O filme a seguir é uma história de ficção. É a história de um garoto que encontra uma garota. Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas é mera coincidência. Especialmente você Jenny Beckman. Vaca”

A frase inicial do filme (500) Dias com Ela) –  ((500) Days of Summer) – Nada mais é do que um romance ao contrário. Ao contrário do convencional, porém, muito mais normal e realista do que estamos (nós homens) acostumamos vivenciar! Em 500 dias, um cara se apaixona por uma garota: andam de mãos dadas, beijam, transam, dormem juntos, saem juntos, cantam juntos, passeiam juntos, tudo juntos… e de repente, não mais que de repente, ela desaparece subtamente acabando o relacionamento (que ainda não tinha sido definido durante os 500 dias) !!!!

O primeiro longa do diretor Marc Webb (calejado em dirigir curtas e video clipes) trata de alguns conceitos interessantes, como:

– Papéis invertidos, onde é o Homem que sofre, que se apaixona, que é deixado;

– Qual a importância de “rotular” um relacionamento? (é bastanque questionano isoos no filme, pois pode evitar mal entendido)

– O amor e o ódio são duas faces da mesma moeda, basta alguém fazer uma cara ou coroa e tudo pode puder;

– O filme tem boas sacadas de animação que dão uma dinamizada na edição, e fazem o papel de reafirmar para o publico que realmente é uma ficação; (a cronologia alinear é interessante)

– O protagonista interpretado por  Joseph Gordon-Levitt (lembram do menininho do Beethoven? É ele mesmo!), enfim… atenção nerdes, sardentos, magricelas, de cabelo oleoso e sensíveis! Vocês estão com tudo! valew pela política de cotas, um filme a mais sem galãs musculosos de cabelos simétricos e olhos claros!

– Summer, interpretada por  Zooey Deschanel (a mulher do Fim dos Tempos) tem a missão de não ser odiada pelos espectadores até o fim do filme. Na verdade o comportamento blazê da personagem nada mais é que uma decisão de ser woordstokiana a la carpe diem, sem compromissos e a única responsabilidade é com a própria liberdade e sentimentos. Tah, pode parecer um pouco egoísta, mas ela não é hipócrita!

Destaque do Filme: a irmã mais nova do Tom, Rachel  – interpretada pela pequena Chloe Moretz, de 12 anos, com aquele rostinho angelicar ninguém desconfia que ela já fez 10 filmes (sendo 5 de terror!!). É a mais madura da trama, a irmã que todo mundo queria ter!

Moral da História: Eles viveram felizes para sempre, mas não juntos! E aprenderam que antes do amor, existe a concidência. Nada de destino ou milagre, apenas coincidência.No último encontro de Summe e Tom, quando ela surge já casada, diz: “Eu acordei e tive certesa daquilo que eu nunca tive com você”….  Isso é que é um Kick in the ass!

Anúncios

Sobre Renato Lima

Jornalista, estudante de psicologia, mochileiro e observador de comportamento.

Publicado em 10/12/2009, em Cult & Filmes. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. certesa? Não seria certeZa?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: