Sua eterna Dívida!

coracao Eu nunca gostei de dívidas. A sensação de estar devendo é uma mistura de culpa e vergonha. A transitividade do verbo nos tortura duplamente. Quem deve, sempre deve algo a alguém.

O problema é que sempre queremos furgir desse alguém quando lhe estamos devendo algo. Nos afastamos das pessoas como se pudéssemos nos afastar da própria dívida. Sacrificamos relacionamentos, sono e até a paz fugindo de uma dívida.

Fato unânime é que ninguém gosta de dever. Justamente para não criar nenhum vínculo. Pois a dívida é o vínculo que une credor e devedor até que a mesma seja quitada. Ambos estão ligados em pensamento, emoções e julgamentos! Isso porque a dívida tem respaldo legal.

Engraçado que Jesus nos alertou sobre essa problemática há muito tempo… certa vez Ele disse “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor, uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei” (Rm 13.8)

A sentença é auto-explicativa! Quantas vezes estamos em débito de amor com alguém e fugimos dessa pessoa.  Nos afastamos, tentamos nos esconder, como se pudéssemos encobrir a própria dívida.

Se quem ama o próximo cumpre a lei, logo não precisa fugir ou se esconder, quem não ama carrega uma dívida nas costas.

Afinal, Palavras sussuram… Atitudes Gritam!

Bom fim de semana!

Anúncios

Sobre Renato Lima

Jornalista, psicólogo, mochileiro e observador de comportamento.

Publicado em 06/11/2009, em Mood. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Agora eu vi… o coração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: